Total de visualizações de página

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Homenagem Póstuma em portunhol


Carlitos Nobles, para mim, ainda é uma grande pessoa. Partiu antes do tempo!

Essa foto que eu fiz dele, foi minutos antes de sua Murga sair para alegrar "los carnavales de Rio Branco". Tinhamos tomado bastante vinho Yrurtia, conversado coisas banais, projetos, sonhos e por ai a fora...


Pequena homenagem a um amigo em portunhol

"La murga" pícara

Chora

Os tamborís, os cara pintadas..
Marcha camión...

"Todo quietito"

Se fué el murguista

Ahora Carlos és macachines

libre, a los embalos del viento

de nuestra Pampa

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Luz Andaluz

Luz Andaluz, letra de M. César e música minha, foi gravada na teatro do Colégio Pelotense, Pelotas, RS, Brasil onde me apresentei no show Trabalhadores sem Fronteiras organizado pelo SIMP - Sindicato dos Municipários de Pelotas. Outros colegas latinoamericanos estavam lá mostrando seus talentos: Demétrio Xavier, Maria Conceição (Brasil), Clave Sur (Chile, Peru, Uruguai e Argentina). O evento foi no dia 14 de setembro de 2008.
Tenho o acompanhamento dos seguintes músicos:
No violão: Cláudio Vieira
Sax: Sebastian Molina
Vamos a letra:

LUZ ANDALUZ

Música: Hélio Ramirez

Letra: Martim César

O PAMPA DELIRA NOS VERSOS DE BORGES

ONDE O TEMPO CIRCULA E O QUE FOI VOLTARÁ

ARTIGAS TRAÍDO CAVALGA AO EXÍLIO

E O BRILHO DE HALLEY SE FAZ LUA NO OLHAR

A CARRETA QUE CRUZA UMA ESTRADA SEM FIM

VÊ O PRIMEIRO AVIÃO NAVEGANDO NO CÉU

UM VISIONÁRIO CONSTRÓI SEU CASTELO NO CAMPO

E NERUDA POVOA DE MAGIA O PAPEL

QUINTANA CAMINHA PELAS RUAS DE UM PORTO

E O GUAÍBA ETERNIZA MAIS UM PÔR-DE-SOL

ATAHUALPA PROFESSA SEU SILÊNCIO PROFUNDO

NOS BARES DO MUNDO ELIS REGINA SOLTA SUA VOZ

GARIBALDI DESCOBRE A CORAGEM DE ANITA

E NAS MISSÕES JESUÍTAS BATE UM SINO OUTRA VEZ

UMA RÁDIO ANUNCIA QUE GARDEL JÁ PARTIU

MAS SEU QUADRO SORRI DESDE “UM VIEJO ALMACEN”

LUZ ANDA LUZ

ESTRELA CADENTE BRILHANDO PRÁ SEMPRE

NAS NOITES DO SUL





video

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Fortins de Jaguarão

Vista, do lado de fora, das ameias*

A religiosidade. Símbolo da pomba do Espírito Santo na cumeeira da casa

Estância Fortim do casal João Carlos e Iaraci de Avila
Estância Fortim do casal João Carlos e Iaraci de Avila
Estância Fortim do casal João Carlos e Iaraci de Avila
Estância Fortim do casal João Carlos e Iaraci de Avila


FORTINS DE JAGUARÃO

Letra & música: Hélio Ramirez

AS ALMAS AINDA ESTÃO LÁ

ENTRE AS MANGUEIRAS DE PEDRAS

NOS BOSQUES DE CORONILHAS

NO SILÊNCIO DOS GALPÕES

HISTÓRIAS DE BENTO GONÇALVES,

APARÍCIO, ARTIGAS... CARLOS BARBOSA

SENZALAS DE AMORES FURTIVOS

SOBRE A LUZ DE LAMPIÕES

DE PEOES E CHINAS SEM NOME

SEM PASSADO... SEM MEMÓRIA

TERRA CONQUISTADA A EITO

ESPADA, BACAMARTE E CANHÃO!

ESTÂNCIA VELHA, SÃO JOÃO...

LÁ NA COSTA DA LAGOA...

SANTA ISABEL, MANGUEIRAS

TELHO, CURRAL DE PEDRAS...

FORTINS. FORTINS, FORTINS

DO MEU JAGUARÃO

SÃO ESTÂNCIAS FORTINS

DO MEU JAGUARÃO..

LÁ NA CURVA DA ESTRADA

ENTRE AS COXILHAS DO MEU PAMPA

HÁ UMA HISTÓRIA – MEMÓRIA –

BUSCANDO SER RESGATADA!


Coloco aqui a letra de uma das mais recentes músicas minha. O tema: as estâncias fortificadas de Jaguarão. Eu, e meus colegas de história, o prof. Carlos Rizzon da Unipampa e a Andréia, mestranda em História pela UFPEL, estamos buscando dados para um futuro trabalho.O grupo conta também com a presença e ajuda, do sempre cativante escultor Cléber Carvalho O tema é fascinante!

* A palavra ameia vem do latim= mina(s) que refere-se em arquitetura militar, as aberturas nos castelos de onde seus defensores visavam os inimigos.